28 outubro 2010

Niemeyer, nosso arquiteto.


Os sóis não lhe ultrapassam

    [menino de cento e dois anos]
você se ombreou com o tempo,
sua palavra, sua dignidade,
amor às gentes,
traços do eterno
sempre foi rega,
onde o chão esturricou.

Waldir Pedrosa Amorim