17 novembro 2010

A Vida é Bela


Mesmo que não o seja,
a vida é bela!
Bela,
pela mágica da fantasia e do engano,
que enfim tecemos com proficiência e destreza,
valendo o ficcional, mais que o real.
Mesmo por isto e acima disto,
Bela a vida.

Bela,
pela habilidade  da dissimulação cotidiana
ofício
ilusionista.
Bela,
por conseguirmos ser prestidigitadores
imbuídos de espelhos e platéias.
Bela.
E ainda ...
Comoventemente  bela e anticientífica.
Sua intenção,
a convicção de seu objeto - a felicidade, o amor, a eternidade, a alegria, a beleza...
Seu substantivo essencial - a perfectibilidade
Sua motivação - a superação de paixões e desejos 
irrefletidos.
Sua síntese - as relações éticas.
Sua  ferramenta,
o respeito 
[respectus: ação de olhar para trás].
Sua concretude, 
um milenar legado com sede de infinito.